Escolha uma Página

 

Foto: Douglas Fróis.

O Coletivo das Culturas é uma candidatura coletiva dos partidos da Federação Brasil da Esperança (PCdoB, PT e PV) que pretende destacar a Cultura como setor relevante da economia e de fortalecer as identidades culturais paranaenses na Assembléia Legislativa do Paraná. No último sábado (04), numa noite repleta de arte, cultura e política, o palco do bar 92 Graus foi tomado por diversas apresentações no primeiro encontro público do coletivo.

 

Entre os vários shows e performances, as membras e membros do coletivo apresentaram algumas das pautas que o grupo acredita serem de fundamental importância para o desenvolvimento dessa grande área que abrange as artes (música, artesanato, teatro, literatura, circo, dança, audiovisual, artes visuais)e também as culturas populares e o patrimônio material e imaterial. Muito se fala no Paraná sobre cultura, mas o que predomina em termos políticos é o baixo investimento e a descontinuidade de ações a cada governo. É preciso avançar, buscar direitos a todos, todas e todes que são parte dessa grande teia a nos entrelaçar, que é a cultura! E elevar a um nível de maior importância as vivências, os territórios e as lutas daqueles e daquelas que dão a vida na construção de um espaço nesta grande teia.

 

No Coletivo das Culturas, também prevalece a luta unida entre indígenas e quilombolas no Paraná. 

Camila e Silmara. Foto: Otavio Zucon.

O coletivo também traz à centralidade dos debates sobre cultura um ponto fundamental: visibilizar e valorizar as populações indígenas e quilombolas no Paraná. As lutas contra o preconceito racial e pelos direitos culturais e territoriais desses povos encontram forte eco no Coletivo das Culturas com a presença ativa de duas grande mulheres: Camila Mīg Sá e Silmara Xavier.

Camila é etnocomunicadora e pesquisadora, indígena kaingang da aldeia Kakané Porã, de Curitiba. Uma jovem liderança cuja força e inteligência se colocam a serviço das prementes demandas dos povos originários do Paraná.

Silmara é presidenta da Comunidade Quilombola Família Xavier, de Arapoti-PR, liderança de destaque que realiza um potente trabalho de mobilização dos quilombos paranaenses a partir da valorização de seus referenciais culturais e direitos territoriais. Juntas, fortalecerão as demandas das culturas populares e dos artesãos e artesãs no futuro mandato.

Diego e Jacob. Foto: Otavio Zucon.

Outro integrante que reforça o time é Jacob Cachinga, nosso parceiro pré-candidato angolano, Mestre em bioética pela PUC-PR, dançarino e membro fundador do Coral Vozes de Angola. É um participante ativo que pautará os debates sobre a transversalidade das artes e culturas e também as questões ligadas aos direitos das pessoas com deficiência. Jacob, que é cego, tem uma expressiva trajetória no campo da inclusão e acessibilidade através de ações como o projeto “Dançar sem ver”, que ensina dança a pessoas cegas.

 

 

Angelo Stroparo. Foto: Otavio Zucon.

O coletivo tem como cabeça de chapa Angelo Stroparo. Curitibano residente em Piraquara desde 2014, tem 46 anos, é jornalista, músico (baixista e guitarrista), artesão e produtor cultural. Pai de cinco filhos (Rebeca, João Lucas, José Augusto, Mariana e Giordano Antonio), nos últimos sete anos, em Piraquara, foi gestor em uma cooperativa de agricultura familiar e economia solidária, diretor de cultura na Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer, conselheiro de meio ambiente (Conselho Municipal de Meio Ambiente – COMUMA), conselheiro de turismo e agricultura (Conselho Municipal de Turismo e Agricultura – COATUR), conselheiro e presidente do Conselho Municipal de Políticas Culturais – CMPC. Nessa última atividade, participou de todo processo de operacionalização e desenvolvimento dos editais do inciso lll da Lei Aldir Blanc (Piraquara fez o repasse de 98% dos recursos ainda em 2020, enquanto o estado repassou apenas 15%, no mesmo período).

Em 2013, escreveu o romance de não ficção ainda inédito “Os cães calam e o demônio passa: a jornada assassina de Anacleto Vargem”. Foi colaborador no portal de jornalismo cultural “A Escotilha”, tendo uma coluna semanal sobre música e história chamada “Vitrola”. Atuou em vários projetos musicais desde 1992, e foi fundador, baixista, compositor e vocalista na banda Macumbaria, vencedora do Festival Kaisersounds, em 2009, além de participações nas bandas Ferryboat, Gretchen Cadillac e Contrafuego. Angelo traz a campo a importância de um mandato que pressione o poder executivo a aportar mais recursos ao setor cultural, o retorno ao estatuto de Secretaria exclusiva para a pasta e que se ampliem as ações artístico-culturais e se criem aparelhos públicos especialmente na Região Metropolitana de Curitiba e interior do estado.

 Também compõem o Coletivo das Culturas:

 Getulio Guerra  arte-finalista, produtor cultural, terapeuta holístico e estuda marketing digital. Tem a [email protected] – Sala de Artes (1999-2022) e atende clientes com criação de logotipos e desenvolvimento de identidade visual em cds, livros, cardápios, papelaria etc. Na Cultura, idealizou o PrasBandas – Mostra Itinerante de Arte Curitibana (2005-2012), que além de palcos pela cidade de Curitiba também realizou oficinas artísticas em comunidade e programas de rádio. Foi Coordenador de Ações Culturais na Paraná Esporte (2007-2011) e da Fundação Cultural de Curitiba (2013-2017). Estreou a Religare Autoconhecimento (2017-2022) onde atende com reiki, deeksha e meditação individual e presencialmente (Vigília Lula Livre, Jornada da Agroecologia, Assentamento do Contestado) e também virtualmente, com projetos via lives durante a pandemia: Imunidade Remota, RelaxOn e Presente Possível. Apesar de ser filiado ao PCdoB há 16 anos, é a primeira vez que aceita ser candidato, justamente por ser uma chapa coletiva. Entende que a Cultura deve ser respeitada no seu habitat natural, fomentando todas as manifestações artísticas de forma democrática e descentralizada, sem elitismos e proselitismos! Cultura viva e independente.

Otavio Zucon (Bob) é historiador, videodocumentarista, professor e discotecário. Foi o primeiro conselheiro eleito do Paraná no CONSEC, atuando no grupo de trabalho de criação do Plano Estadual de Cultura e, neste colegiado, lutando pela interiorização dos recursos do setor. Foi também presidente do Conselho de Políticas Culturais de Campo Largo, auxiliando na construção das políticas municipais de cultura da cidade. Como co-candidato, Otavio destaca a importância de um setor cultural e socialmente muito relevante, porém pouquíssimo valorizado pelos gestores públicos: o patrimônio cultural material e imaterial. Essa área, cujos propósitos são valorizar, preservar e dar publicidade aos fazeres, lugares, ofícios, celebrações e formas de expressão – é eixo fundamental de nossa identidade e memória, sendo mais um campo de lutas do coletivo.

Da esquerda para a direita: Leonardo, Angelo, Otavio, Jacob, Getulio, Silmara, Camila e Diego na noite que marcou o lançamento da pré-candidatura no 92 Graus Pub, em Curitiba. Foto: Douglas Fróis.

Diego Carvalho é graduando em Mediação Cultural, Artes e Letras na Universidade Federal da Integração Latino Americana – Unila, coordenador estadual da União de Negros e Negras pela Igualdade do Paraná, Secretário do Mobilizações da UNALGBT do Paraná. Ator, diretor geral da Companhia Teatral Jovens do Futuro – Foz do Iguaçu, ex-coordenador do Espaço Iguaçuense da Diversidade, Coordenador Regional da Aliança Nacional LGBTI, sindicalizado ao SATED-PR, colaborar do Sated Jovem Paraná, foi candidato a Vice Prefeito pelo PCdoB nas eleições de 2020 em Foz do Iguaçu e compõe também a candidatura coletiva.

Leonardo Franceschi Ferreira (Leonardo Ferreschi) é ator, arte-educador e produtor cultural. Acadêmico do Curso de Formação Pedagógica em Artes Visuais, foi presidente e atual Secretário Executivo do Coletivo de Ação Cultural de Colombo – COACOL. Secretário da Associação dos Profissionais e Técnicos de Festas, Shows, Espetáculos e Eventos Corporativos do Paraná – APPTE-PR. É membro titular da Região Sul no Conselheiro Nacional de Políticas Culturais e ex-Conselheiro Estadual de Cultura Gestão 2020/2022 – Paraná – Representante da Música. Atua como Conselheiro Municipal de Cultura do Município de Colombo – Representante do Teatro e é o atual Presidente da Comissão do Programa de Incentivo à Cultura do Paraná – CPROFICE. Leonardo acredita, de maneira aguerrida, na importância da participação popular nos órgãos colegiados e na luta institucional pelo reconhecimento do setor. 

Saiba mais do Coletivo: 

https://linktr.ee/coletivodasculturas